O cinema na Turquia

Como tudo começou

Palácio Yildiz – Istambul.

O Palácio Yildiz em Istambul  foi o local de exibição do primeiro filme da história do cinema na Turquia em 1896. A primeira produção feita no país foi um documentário produzido por Fuat Uzkinay em 1914 e mostra a ação do povo na destruição de um monumento russo em Bakırköy. A partir daí vieram outros filmes com os mais variados temas, como um grande documentário sobre a primeira guerra da Independência chamado “Independence, the Izmir Victory” de 1922. Nessa época a produção, que era apadrinhada pelo exército, começou a ficar mais diversificada com a criação do primeiro estúdio privado, o Kemal Filmes. Porém, nos primeiros anos a produção cinematográfica turca foi um tanto modesta e desde o início de sua história até o ano de 1945 o número de filmes feitos no país não chegava a 50.

Fuat Uzkinay e o primeiro filme turco.

A grande parte dos filmes exibidos na Turquia eram produções feitas em outros países como França, Itália, Alemanha e principalmente Estados Unidos. O mercado cinematográfico do país teve uma grande mudança somente após a Segunda Guerra Mundial, quando através da importação e o implemento de novos recursos tecnológicos, junto do apoio das grandes empresas ligadas a exibição de filmes, o número de títulos nacionais aumentou. A partir daí, somente no ano de 1952 o país exibiu 49 filmes nacionais, um marco histórico!

Yeşilçam – A Hollywood turca

Sala de cinema na Turquia e Yeşilçam – poster ilustrativo.

Yeşilçam (Verde Pinho), uma rua em Beyoglu, distrito de Istambul, era o local onde muitos atores, diretores e membros de produção viviam e também onde se concentravam os principais estúdios de cinema. O lugar ficou conhecido como a Hollywood da Turquia e simbolizou a era de ouro da indústria cinematográfica do país, entre meados de 1950 a 1970. Nesse período chegaram a ser lançados anualmente de 250 a 350 filmes e muitos dos títulos nacionais superavam as produções estrangeiras, tanto em bilhetes quanto em vendas. Entre os atores pertencentes a essa era, podemos citar: Kadir İnanır, Türkan Şoray, Yılmaz Güney, Nilüfer Aydan, Şener Şen e Kemal Sunal. Os grandes diretores que fizeram parte desse período são Atif Yilmaz, Memduh Ün, Halit Refiğ, Duygu Sağıroğlu, Remzi Aydın Jöntürk, Nevzat Pesen e Metin Erksan, esse último vencedor do Golden Bear Award, o Festival de Cinema de Berlim, com o filme Susuz Yaz (Dry Summer), de 1964.

Placa de sinalização de Yeşilçam em Beyoglu, Istambul.

Até a metade da década de 70 o país contava com 2.424 salas de cinema e os filmes nacionais foram vistos por um publico de 247 milhões de espectadores. Além disso, a qualidade técnica havia aumentado muito. Porém após esse período de glorias a competição com a TV, os altos custos nas produções e a importação de equipamentos passaram a impactar o cenário nacional, que viveu uma crise. Muitos atores migravam para a TV enquanto outros lutavam para manter a continuidade da produção de filmes e reerguer Yeşilçam. No início da década de 80, apenas dois ou três filmes foram lançados por ano. Com a popularização de aparelhos de vídeo, essa situação continuou até o início dos anos 2000.

A volta por cima

Elenco do filme Vizontele.

Apesar do volume de filmes ter diminuído consideravelmente , alguns títulos podem se destacar do período das décadas de 80 e 90 como Yol (The Road), de 1982, dirigido por Yılmaz Güney, ganhador do Palme d’Or do Festival de Cannes de 1983, Masumiyet (Inocência), de 1997, dirigido por Zeki Demirkubuz e o Banho Turco (1997) de Ferzan Ozpetek.
No entanto o filme que trouxe de volta a atenção para o mercado de filmes nacionais foi Vizontele. Dirigido, escrito e estrelado por Yılmaz Erdoğan, ficou conhecido por ser o mais visto de sua época, alcançando um número próximo de 3,5 milhões de espectadores no país, sendo considerado um enorme sucesso comercial. Vizontele trouxe de volta a atenção para a indústria cinematográfica da Turquia. A partir de então a produção de filmes aumentou gradualmente, incluindo títulos com grandes orçamentos de produção e sucesso de publico como Uzak (Distante – 2002), Meu Pai e Meu Filho (2005), Um Doce Olhar (2010), Era uma vez na Anatólia (2011), A Conquista de Constantinopla (2012), entre outros.

Kemal_Sunal_e_Sener_Sen_Atoresa_Turcos

Kemal Sunal e Şener Şen em cena. Ao lado, um grafite com a imagem dos atores em Istambul.

E para você que se interessou pelo cinema da Turquia, separamos uma lista com alguns trailers de grandes filmes feitos no país:

Yol (1982):

Vizontele (2001):

Uzak (2002):

Meu Pai e Meu Filho (2005):

Um Doce Olhar (2010):

Era uma vez na Anatólia (2011):

A Conquista de Constantinopla (2012):